Ele pode descer, descer e... descer

Avenida Brasil 03-11-2018 16:31
Por João Almeida Moreira

Éraro, principalmente no Brasil, mas acontece. No ano passado, mesmo circulando pelo fundo da tabela do Brasileirão, o Avaí não despediu o treinador Claudinei Oliveira. Acabaria despromovido com os mesmos pontos do Vitória, que se salvaria. Este ano, pode ter um recorde mais raro: assumiu, na segunda jornada, o Sport Recife, do qual sairia à 18.ª para treinar o Paraná Clube. À 29.ª, por sua vez, trocou o Paraná pela Chapecoense. Não é por ter orientado três clubes da Série A, por enquanto, que ClaudInei pode fazer história - isso até é comum. É porque Chape (17.ª), Sport (18.º) e Paraná (20.º) arriscam-se todos a descer.

Paquetá falha golo cantado

Não é só Claudinei que bate recordes indesejados. Após falhanço incrível de Lucas Paquetá, jogador do Flamengo já contratado pelo Milan, no clássico com o Palmeiras, o Globoesporte decidiu listar «os 10 golos mais perdidos da Série A do Brasileirão de 2018». E é ele mesmo, Paquetá, quem lidera a relação com o desperdício do que podia ter sido o 2-1 para o Fla no chamado jogo do título com o Verdão, ao falhar, da marca de penálti, sem guarda-redes no lance, um golo cantado. Soma 30% dos votos. Erro de Willian, do Palmeiras, fica em 2.º com 20,5% e de Gabriel, do Corinthians, em 3.º, com 15%. 

A turma de Mônica já tem clube!

Ao longo dos livros, as personagens criadas por Maurício de Souza da Turma da Mônica eram do mais vira-casaca que se possa imaginar, usando camisas de clube, a cada história, ao sabor da necessidade narrativa. Por isso, o autor, um são-paulino ferrenho, colocou agora pontos nos is: Mônica é são-paulina, como ele, por usar vestido encarnado; Magali, fã de Peixe, é Santos; Cascão, craque de bola, é do Corinthians; e Cebolinha, sempre de verde, só podia ser do «Palmeilas». Souza, fã de futebol, é autor também de «Pelezinho» e mais recentemente de BD inspirada em Ronaldinho Gaúcho e em Neymar Jr.  

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias