Tiros, bombas, atropelamento. Bem-vindos às finais estaduais

São Paulo 16-04-2019 09:12
Por João Almeida Moreira

Na ressaca dos jogos da primeira mão das finais dos estaduais deste domingo, há notícia de mais incidentes do que de golos Brasil afora. Por exemplo, no mais importante de todos os campeonatos regionais, o Paulistão, os rivais São Paulo e Corinthians protagonizaram um 0-0 sem oportunidades relevantes nem episódios dignos de notícia. Mas numa cidade nos arredores, uma guerra de claques na manhã do jogo resultou em 14 adeptos feridos, seis deles em estado grave.


 Além de três baleados, a polícia militar registou 11 lesões por socos e pauladas. Nos incidentes, ocorridos na cidade de Ferraz de Vasconcelos, subúrbio da metrópole, as autoridades fizeram cinco detenções. Há ainda registo de cinco automóveis danificados em consequência da briga coletiva que a polícia suspeita ter sido marcada pela internet. No estado de São Paulo é proibida a entrada de claques visitantes nos estádios para prevenir incidentes, por isso, as torcidas organizadas combinam confrontos longe do estádio.


 Marquinhos Gabriel e Léo, para o Cruzeiro, e Ricardo Oliveira, para o Atlético, marcaram na primeira mão da decisão do estadual mineiro. No entanto, a detenção de três torcedores do Galo com 10 bombas de fabrico caseiro, 14 foguetes, três bombas garrafão e pedras da calçada no meio de um grupo de adeptos que causavam tumultos no trânsito, foi o dado mais importante. Noutro foco de violência nas imediações do Mineirão, a polícia surpreendeu cinco cruzeirenses a tentar enforcar um rival com uma faixa.


 No Recife, uma confusão entre adeptos de Sport e Náutico, jogo que terminou com o triunfo do primeiro por 1-0, golo de Ezequiel, levou à intervenção da polícia a cavalo ao largo do Estádio dos Aflitos, propriedade do segundo. Um torcedor do Náutico acabou mesmo ferido após ser atropelado e pisoteado por um cavalo. Já em Chapecó, na meia-final do estadual catarinense, adeptos do Figueirense fizeram gestos de um avião a cair como provocação aos adeptos da Chapecoense, aludindo à tragédia de Medellín que matou 71 pessoas. O Figueirense repudiou.  


 Apesar de tantas notícias trágicas na cidade nos últimos tempos, no Rio de Janeiro o Estádio Nilton Santos foi palco de uma primeira mão onde o futebol imperou, com dois golos de Bruno Henrique a decidirem o dérbi com o Vasco da Gama a favor do Flamengo. No Gre-Nal, o clássico ente Grêmio e Internacional foi nulo no campo e calmo no entorno. Na próxima semana, é a hora das segundas mãos, dos vencedores levantarem as taças e, espera-se, de não haver mais relatos de violência. 
 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias